Buscar
  • adrianagonbueno

Instinto materno existe?


Que mulher nunca ouviu falar de um tal “instinto materno”?


Muitas acreditam que existe uma força natural que faz com que as mulheres saibam como e o que fazer com os filhos, como se existisse uma chave que fosse ligada a partir do momento em que o bebê chega… Mas a verdade é que não é bem assim e eu vou te contar o porquê.


Biologicamente, a mulher é preparada naturalmente para ser mãe. Durante a gestação, há uma série de mudanças hormonais que vão provocar mudanças neurológicas e, consequentemente, mudar um pouco do comportamento.


Por exemplo, você sabia que, durante a gestação, a progesterona aumenta em 300 vezes a produção de estrogênio?

Isso faz com que a quantidade produzida durante a gravidez seja equivalente à tudo que a mulher vai produzir no restante da sua vida reprodutiva. Além de todas as alterações endócrinas, há também evidências da redução e posterior aprimoramento de regiões do cérebro que fazem com que a mulher esteja mais alerta, ou seja, mais sensível para entender as necessidades do recém-nascido.


Mas isto não tem nada a ver com “estar pronta” para ser mãe.

Ou seja, o corpo da mulher muda naturalmente com a gravidez, mas é preciso trabalhar a mente para todas estas novas sensações e emoções. Inclusive, há estudos que afirmam que, dependendo do histórico da mulher, de eventuais traumas na infância, isso vai influenciar na produção de hormônios e, consequentemente, no comportamento.


Por isso é tão importante, além do pré-natal biológico, que acompanha todas estas mudanças físicas do corpo, cuidar da mente, porque as duas coisas andam juntas.


Dra. Adriana Gonzalez Bueno

CRM 176603 RQE 79903



1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo